• Palato

Sabe o que é uma cerveja puro malte?

Atualizado: 29 de Mar de 2019


Os bebedores mais experientes com certeza deram de cara com essa pergunta. Porém, sempre há um neófito no ramo que sempre se pergunta o que viria a ser uma “puro malte”. É uma cerveja mais forte? Mais alcoólica? Que usa ingredientes melhores? Algo na fabricação? Bom... não necessariamente.



O malte pode ser obtido de qualquer cereal, pois o processo advém de fazer uma germinação inicial no grão (lembram da escolinha? Feijão, algodão e água?) para que o grão tenha o máximo de açúcar disponível. Após essa germinação, leva-se o grão para os diversos tipos de torra, das mais fortes as mais claras, é isso que irá definir a cor e sabor das cervejas. Cervejas com grãos mais torrados serão mais escuras e sabores mais intensos como café, toffee ou chocolate amargo. Menos torrados ou intermediários terão sabores caramelados, biscoito ou pão.


Em resumo, uma cerveja puro malte possui como fonte única de açúcar para a fermentação o advindo de malte de grãos como cevada e trigo. Mas pode ser de outra fonte? Pela legislação brasileira, sim! Uma cerveja no Brasil pode possuir até 45% do extrato advindo de outra fonte vegetal (como por exemplo milho, arroz, glicose). Essal flexibilidade permite que se utilize uma matéria-prima que não foi manufaturada, permitindo um custo menor de insumos.



Uma cerveja que possui quase metade da composição com grãos não maltados costuma ser bastante leve e com menos corpo que uma puro malte, o que para ser aceita no mercado necessita de estabilizantes de espuma e até corante caramelo (o mesmo utilizado em refrigerantes). Dessa forma, uma puro malte é conhecida por usar os ingredientes mais naturais possíveis.


Como o público brasileiro está se tornando cada vez mais exigente, já vimos que as grandes cervejarias já estão mudando seus antigos rótulos tradicionais para cervejas puro malte. Mas, como reconhecer numa prateleira se uma cerveja é puro malte? É bem simples, até! Se não tiver constando no rótulo que se trata de uma puro malte, basta olhar nos ingredientes da cerveja. Uma cerveja que utiliza adjuntos terá em sua composição “cereais não maltados” ou até mesmo milho ou arroz.


Aí me perguntam: Eu bebo cerveja que não é puro malte, qual o problema? E eu respondo sempre: Nenhum! Cada um tem a liberdade de beber o que quiser, mas é sempre importante sabermos o que estamos ingerindo, até porque o intuito é bebermos cada vez melhor!