• Palato

Orval: A Cerveja do Vale Dourado!



Olá!

Já ouviram falar da lenda da condessa que perdeu o anel? Apesar desse resumo tosco, existe muito misticismo envolvendo lenda e uma das melhores cervejas do mundo que todos apreciadores devem beber antes de morrer: a Orval.

A história dessa cerveja, bem como de outras cervejarias trapistas (falamos aqui sobre a Rochefort!), dariam uma bela série num canal de streaming! O início da construção da abadia de Orval (Abbaye Notre Dame d´Orval) se deu em 1070 e somente foi concluída antes de 1200 com a ajuda de sete monges liderados por Constantino (nem me perguntem qual Constatino! As próprias fontes da Abadia não são claras). Porém, parece que o fogo persegue nossos queridos monastérios... Em 1252 a abadia sofreu um incêndio e ela penou com os danos por quase um século. Se hoje as coisas são difíceis, imagina há 760 anos! Novamente em 1637, durante a guerra dos 30 anos, a abadia foi pilhada e queimada por mercenários franceses e em 1793, durante a revolução francesa, foi novamente queimada em retaliação à benevolência dos monges ao acolher austríacos.

Porém, o bem sempre vence! Nem que demore 800 anos! Em 1887 as terras foram adquiridas pela família Harenne e a mesma doou tudo à ordem cisterciense em 1926 quando finalmente em 1948 a nova igreja foi refundada e suas antigas ruínas são abertas à visitação até hoje.

Mas e a condessa? Bom, há uma lenda que a condessa Matilda de Canossa (1046-1115), figura importantíssima da história da Itália medieval, passeando pelas redondezas do vale, perdeu seu anel de noivado nas águas enquanto caminha por suas beiras. Questão que a moça já era viúva e seu pretendente era um aspirante a duque da Bavária com uma diferença de idade de uns 17 anos. Não pegaria bem nos dias atuais chegar em casa sem o anel, imagina naquela época? Ela rezou para que encontrasse seu anel. Então uma truta veio nadando e trouxe em sua boca seu anel de noivado e foi quando ela exclamou que aquele era um Vale Dourado (de onde deriva a palavra Orval). Sendo verdadeira ou não essa história, a cervejaria utiliza uma truta com um anel em sua boca como logomarca. E você? Acredita na história da condessa?